domingo, 23 de setembro de 2012

o segredo de uma igreja


Saudades do tempo no qual,  a durante escola dominical aprendíamos a palavra, pois ela era ela, sim a palavra, ensinada de forma que nos dava mais e mais sede e ansiavamos pela chegada do domingo para aprender mais dela.
Nosso professor era o instrumento usado e a palavra a matéria prima, não era preciso data show, slides, ar condicionado, cadeiras confortáveis. Lembro-me daquelas tardes de domingo, em que éramos apenas cinco, mas um mestre havia chegado, sim um professor que se importava em falar do que Deus havia escrito, de mergulhar nos detalhes, tinha a capacidade de nos transportar para os tempos ali descritos, nos ajudava a enxergar com Deus via e pouco a pouco, a notícia correu, precisávamos de mais lugares para comportar as pessoas que haviam ouvido falar que a palavra de Deus estava sendo ensinada com unção. estava sendo ensinada de forma que tudo que tínhamos era por graça, por perdão, por amor divino.
Hoje, escasso está lugares assim, até mesmo este, está morrendo, pois deixaram a sã doutrina ( Porque virá tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas, tendo comichão nos ouvidos, amontoarão para si doutores conforme as suas próprias concupiscências; II Tim 4:3 )  encheram seus corações com justiça própria e muitos buscam as coisas deste mundo, manipulam a palavra e vendem a Jesus como solução dos seus problemas, como o gênio da lâmpada que lhe concede desejos
É,.os mestres se transformaram, por vaidade, em show man, para atender a demanda de pedidos de homens " modernos ", de pedidos egocêntrícos de uma igreja imatura, orgulhosa e religiosa.

Ah, o que estamos fazendo com a palavra?

Jesus, o grande mestre, a pregou embaixo de um sol de deserto, não gritava, não prometeu riquezas, mas prometeu vida em abundância para aqueles que o seguissem. disse que o filho do homem não tinha onde recostar a cabeça e mesmo assim multidões O seguiam.

é simples assim.